Arquivo por categoria: Buerarema

set 12

Nós, os novos inconfidentes?

Tenho arrepios severos cada vez que ouço falar em impostos, taxas, qualquer coisa parecida com “tungarem mais dinheiro ainda de nossa sofrida carteira”. E nesses últimos dias essa forma de solução das bobagens que eles andaram fazendo arrancando do meu, do seu, do nosso, tem sido dita insistentemente. Tiveram a cara de pau até de chamar de investimentos, e dizendo que adoraremos contribui

MARLI GONÇALVES

     Acabei lembrando a derrama, a forçada e violenta forma de cobrança de tributos com que os colonizadores portugueses coletavam parte do que se obtinha na exploração dos minérios, aliada à “quinta”, que ainda tirava o naco de 20% dos ganhos. Daí foi um passo para lembrar a revolta popular, de Tiradentes e dos Inconfidentes, de tudo o que a História do Brasil já registrou e que terminou de forma tão cruel e sangrenta. Você também deve ter ouvido muita gente aí do seu lado falar que, caso resolvam impor mais impostos, deveríamos nos unir, todos deixarem de pagar, que não está certo pagarmos ainda mais pelos erros que vêm cometendo, trapalhada após trapalhada.

      Ouviu também, né? Não se fala outra coisa.

     Pois eu ouvi de gente respeitada, de pessoas maduras, honestas e trabalhadoras, homens e mulheres sérios que vocês não imaginam nem engrossando passeatas em verde e amarelo, muito menos empinando balões de bonecos. Mas eles estão dispostos a reagir e mostram, como no passado, ter de fazer isso para não sucumbir à ganância dos governantes. Uma questão de sobrevivência, explicam. Já enxugaram o que podiam, dispensaram seus “escravos”, temem não ter o que dar aos seus filhos. Não veem o que já pagaram até aqui revertido em benefícios – sem saúde, sem educação, sem infraestrutura. Estão insatisfeitos, indignados, sentem-se roubados, espoliados e enganados.

      Achei nessa parte de nossa História – a Inconfidência Mineira – muita coisa parecida com a que estamos vivendo agora em pleno século XXI, incluindo até os delatores que, em troca de se livrarem, a si, aos seus bens, atiram mais gente ainda no fogo da caldeira, dando combustível para que essa fogueira esteja cada dia mais furiosa. Só não encontrei ainda os heróis.

    Obviamente faço esse paralelo muito mais pensando no que aprendemos de melhor ali, na honra, na coragem dos insurretos, nos mitos que se criaram, do que na desgraça de uma solução militar, como a que fechou o tempo por longos 25 anos.

    Não é de hoje que a ideia de conspiração ocorre nas horas mais tumultuadas da política nacional como a que vivemos nos últimos meses, e que alguns analistas já associaram até ao Titanic. O navio afundando e a ordem para que a orquestra continuasse. O problema é: com quem? Não há grupo coeso, mas miríades deles e fica difícil se encaixar em alguma conjuração. Pelo menos eu ainda não senti liga, e sigo apenas com alguns amigos aqui e ali com os quais tenho afinidade de pensamento. Não posso me juntar a quem defende liberdade pelo poder, quem perdeu por incompetência e vê na crise chance de emplacar, quem ainda acha que o mundo se divide em bons e maus, esquerda e direita, com quem usa a religião para constranger e proibir.

    Procura-se um modelo de República, de ideias arejadas; uma nova e simples Constituição; ideias e filosofias que se coadunem com o tempo, com o chão que pisamos, com o futuro que acreditamos em poder erguer, com justiça social verdadeira. Algo integrado ao desenvolvimento global, progresso, sem esquecer o ar que respiramos, o chão que pisamos, os oceanos que se aproximam crescendo sobre a terra.

Quem sabe encontraremos juntos?

==================

Comentários:

        Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem l mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.

Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

abr 02

Prefeitos apresentaram demandas locais durante audiência com a Sedur

      Durante uma reunião na tarde desta terça-feira, 31, com o Secretário de Desenvolvimento Urbano do Estado, Carlos Martins, os prefeitos associados a Amurc apresentaram as demandas de infraestrutura dos municípios na região, na tentativa de solucionar os entraves da região. Ao mesmo tempo, o Presidente Lenildo Santana solicitou o envolvimento da Secretaria na luta pela implantação da Região Metropolitana do Sul da Bahia (RMSB).

02-Reunião-Sedur-AMURC-Foto-Ascom-Sedur

     A audiência foi uma solicitação da Amurc, que junto ao Governo do Estado da Bahia tem realizado reuniões constantes. Com a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), por exemplo, a entidade mantém uma agenda mensal para o alinhamento de serviços que estão sendo prestados a população de Itabuna e região. A regularização desses procedimentos foi possível através de uma parceria firmada entre a Amurc, Sesab e Prefeitura de Itabuna, que conseguiu o aporte de R$ 1 milhão.

     A construção de uma agenda positiva com as Secretarias do Estado é o objetivo da entidade municipalista, que busca fortalecer a parceria entre os entes estadual e municipal. Nesse sentido, a audiência com a Sedur foi uma oportunidade para que o secretário pudesse conhecer as obras em andamento nos municípios, em convênio com o Estado e as solicitações de cada gestor para a sua localidade. O secretário Carlos Martins revelou que o Governo continuará investindo nos projetos que já estavam sendo executados.

     Sobre a implantação da Região Metropolitana do Sul da Bahia, o representante do Estado revelou que estará estudando o projeto junto à equipe técnica, além de compartilhar o documento com as demais secretarias estaduais e o governador Rui Costa. A proposta, segundo Lenildo, visa desenvolver ações estruturantes em comuns, de forma organizada e planejada, entre os municípios limítrofes da região.

      Para a prefeita de Floresta Azul, Sandra Cardoso, a reunião solicitada pela Amurc foi bastante positiva, principalmente porque reuniu prefeitos e o secretário da Sedur, na tentativa de atendimento aos pleitos municipais. “Espero que iniciativas como essa possam ser repetidas em reuniões com outras secretarias”, declarou a prefeita.

     Além dos gestores de Ibicaraí e Floresta Azul, a reunião contou ainda com a presença de prefeitos (as) e representantes dos municípios de Camacan, Coaraci, Canavieiras, Pau Brasil, Uruçuca, Aurelino Leal, Itarantim, Barra do Rocha, Una, Almadina, Ibicuí, Santa Luzia e Itabuna.

Fonte: Jornalista Viviane Cabral

=================

Comentários:

        Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem l mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.

Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

 

jul 03

CIDADE Buerarema: Clima quente na região dos conflitos!

   66

      Ontem aproximadamente às 18 horas  o clima esquentou na região dos conflitos entre agricultores e supostos índios, dois corpos foram encontrados com marcas de tiros na Faz: Bonfim no  município de Ilhéus.

MACUCO NEWS

       Os corpos são de dois homens de prenomes Valmir e Antonio, os executores  além de matarem  levaram a orelha de Valmir.

BUERAREMA

        Homens da Força Nacional e Exercito já se encontra no local, de acordo com o genro da proprietária da fazenda um dos mortos é um pequeno agricultor e o outro é cadastrado como índio não se sabe o motivo dos assassinatos o caso só veio atona hoje, porque um outro agricultor fugiu para não morrer adentrando na mata a fora fugindo dos assassinos para não morrer.

Mais noticias em breve.

================

Comentários

             Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

 

mai 30

JUSTIÇA: Mãe de jovem assassinado há 5 anos em Buerarema clama por justiça

     O dia do Natal já não é tão ansiado assim por Dona Norma Alves, isto porque, ela, uma mãe que, no dia da tradicional festa familiar em que se comemora a vida, ela deparou com a morte do seu filho único, de forma fria e cruel. Um jovem estudante de direito, trabalhador, responsável e bastante querido pelos familiares, amigos e colegas.

Rafael e Norma - mae

     O fato aconteceu no dia 25 de dezembro de 2008, no município de Buerarema, sul da Bahia. Rafael Alves Xavier, a vítima, voltava de um tradicional “baba de saia” (comemoração de futebol entre amigos, onde homens se vestem de mulher), que fora convidado para um momento de diversão, foi assassinado com um tiro de revólver, sem ter chance de defesa, ou tão pouco conhecer o seu algoz. De acordo com relatos do processo, o jovem que era residente na cidade de Itabuna, era considerado de bem e não estava envolvido na briga em que foi alvejado.

Rafael

      Ainda, segundo os autos, uma briga envolvendo dois amigos da vítima que estavam vestidos de mulher, em virtude da tradicional comemoração, foi o motivo pelo qual o jovem teve a sua vida ceifada. Testemunhas contam no processo que o jovem Rafael não estava envolvido no desentendimento, mas tentou separar um amigo, que teria sido vítima de chacota pelos irmãos Regis e Arlei (réu confesso do disparo) e por isso fora atingido.

     O julgamento do acusado será no próximo dia 04 de Junho de 2014, a partir das 9h, no município de Buerarema.     A mãe que ainda chora bastante ao lembrar-se do seu único filho, a qual tanto se dedicou para transformar em um homem de bem, só tem um desejo: Justiça. “O meu desejo é que seja feito justiça e que o caso não caia no esquecimento, pois Rafael era um jovem tranquilo, meu único filho, que inocente, perdeu a vida dessa forma brutal”, diz ainda bastante abalada.

     O acusado, segundo Norma Alves, está vivendo tranquilamente na cidade de Buerarema, depois de retornar da cidade de São Paulo, para onde na ocasião do crime fugiu. A família ainda pede aos amigos e colegas que juntos clamem por justiça no momento do julgamento.

================

Comentários

Todos os comentários são moderados, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1 mil caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Não há, contudo, moderação ideológica. A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade. Obrigado.

 

Página 1 de 11